7 de mar de 2010

PROJETO MEU BICHINHO DE ESTIMAÇÃO

PROJETO PEDAGÓGICO:

CONSTRUINDO VALORES PARA VIDA

BICHINHO DE ESTIMAÇÃO


ÁREA: ENSINO FUNDAMENTAL – PRIMEIRA FASE

PROFESSORA-RESPONSÁVEL: VANDERLI CASSIA SPREDEMANN

PÚBLICO-ALVO: 1º E COMUNIDADE



ANO LETIVO: 2010

1. TEMA: CONSTRUINDO VALORES PARA A VIDA – BICHINHO DE ESTIMAÇÃO



2. DELIMITAÇÃO DO TEMA

Promover por meio de atividades lúdicas a construção da identidade social e cultura significa traçar caminhos para a construção de valores para vida. Em virtude disso, é imprescindível a escola tomar consciência de seu papel na formação da criança. Reconhecendo que:

A criança como todo ser humano, é um sujeito social e histórico e faz parte de uma organização familiar que está inserida em uma sociedade, com uma determinada cultura, em um determinado momento histórico. É profundamente marcada pelo meio social em que se desenvolve, mas também o marca (RCNEI, 1998 p. 21).



Na realidade, é importante que o educador esteja ciente que as crianças pensam o mundo de um jeito especial e muito próprio. É a partir das relações que estabelecem com a realidade em que convivem, com o meio familiar e com as pessoas que necessitam se relacionar no cotidiano, que elas passam a “ler” e compreender o mundo. Sendo que em sua percepção, a criança está adquirindo informações significativas que irão lhe moldar sua personalidade.



3. PÚBLICO-ALVO

o O projeto tem por finalidade atender os alunos do Ensino Fundamental da 1ª Fase da Escola Municipal Professor Joaquim Moreira.



4. JUSTIFICATIVA

A aprendizagem depende em grande parte da motivação: as necessidades e os interesses da criança são mais importantes que qualquer outra razão para que ela se ligue a uma atividade. Ser esperta, independente, curiosa, ter iniciativa e confiança na sua capacidade de construir uma idéia própria sobre as coisas, assim como exprimir seu pensamento como convicção são características que fazem parte da personalidade integral da criança. Entretanto, se a criança interage em um ambiente turbulento e conflituoso, ela pode ter suas características alteradas, influenciando negativamente em sua auto-estima.

Por conseqüência, cabe a escola oferecer condições não só para a criança desenvolver suas potencialidades cognitivas como também poder perceber suas limitações e capacidades de uma forma positiva, melhorando sua aprendizagem. É fundamental tomar consciência de que a atividade lúdica infantil fornece informações elementares a respeito da criança: suas emoções, a forma como interagem com seus colegas, seu desempenho físico-motor, seu estágio de desenvolvimento, seu nível lingüístico, sua formação moral.

O que acontece no decorrer de uma atividade lúdica depende sobretudo das ações da criança num tempo e espaço determinados, com ou sem parceiros, com ou sem objetivos de brincar. É por meio de atividade sensório-motoras que a criança vai aprendendo. À medida que cresce, podemos observar que ela vai desenvolvendo suas habilidades cognitivas, corporais, emocionais e sociais, que vão constituindo a ponte entre suas ações puramente físicas e concretas, para ações mais abstratas.

Partindo desse pressuposto, o presente projeto tem por finalidade refletir sobre a construção da identidade da criança na escola, oferecendo condições para que os alunos pré-escolares participem de atividades lúdicas e contextualizadas, contribuindo para a formação de uma identidade autentica e respaldada em valores éticos necessários ao cidadão consciente de seu papel na construção da sua história e da história do outro.



5. OBJETIVOS



o Geral

 Promover por meio de vivencias a construção de valores para a vida.



o Específicos

 Compreender a importância dos direitos e deveres.

 Reconhecer as necessidades do outro e respeitá-las.

 Identificar as diferenças e construir a igualdade.

 Levantar informações sobre os valores necessários para a vida.

 Promover a conscientização da importância da responsabilidade e o comprimento dos deveres e a garantia dos direitos.

 Promover situações de relatos e construção de valores.

6. PROCEDIMENTOS DIDÁTICOS

Por meio de conversa a formadora explicará os objetivos do projeto, estabelecendo as regras e firmando um acordo didático com as crianças. Cada dia da semana criança deverá levar o bichinho de estimação da turma para casa e cuidar até o dia seguinte, no dia seguinte relata como cuidou do bichinho e a passa a responsabilidade para o colega. Todos os alunos participaram, e a atividade será repetida várias vezes.

7. RECURSOS

MATERIAL

 Gaiola, um coelho, e ração.



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL. Secretaria de Educação Especial. Tendências e Desafios da Educação Especial. Org. Eunice M. L. Soriano de Alencar. Brasília: SEESP, 1994.

_____. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Vol. 1, 2 e 3. Brasília: MEC/SEF, 1998.

_____. Secretaria de Educação Especial. Tendências e Desafios da Educação Especial. Org. Eunice M. L. Soriano de Alencar. Brasília: SEESP, 1994.

_____. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial. Brasília: MEC/SEESP, 1994.

_____. Ministério da Justiça. Secretaria Nacional dos Direito Humanos. Declaração de Salamanca e Linha de Ação: Sobre Necessidades Educativas Especiais. 2. ed. Brasília: Coordenadoria Nacional Para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência – CORDE, 1997.

_____. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Arte. Brasília: MEC/SEF, 1997.

STAINBACK, Susan; STAINBACK, William. Inclusão: um guia para educadores. Trad. Magda França Lopes. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

WEISZ, Telma. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo: Ática, 1999.

Nenhum comentário: